Notícias

Uma empresa sempre à frente do seu tempo

Postado dia 09/04/2014

Geometria de suspensão e desgaste de pneus

Geometria de suspensão e desgaste de pneus

Como identificar as causas de desgaste de pneus relacionadas a ângulos de suspensão incorretos e por que estes ângulos não são sempre retos?

São três os principais ângulos de suspensão que podem provocar desgaste irregular nos pneus e interferem diretamente na dirigibilidade do veículo: convergência ou divergência, câmber e cáster.

Mas, em primeiro lugar, vamos entender a interferência destes ângulos no comportamento do veículo. É importante compreender que os ajustes de alinhamento são sempre efetuados estaticamente (com todos os componentes parados) para que dinamicamente (com o veículo em movimento) passem a ter um comportamento previsto pela engenharia em projeto. Por isso, é preciso conferir, antes de realizar um alinhamento, quais os ângulos recomendados pela VW, informados no manual do proprietário de cada veículo.

Convergência ou divergência

Convergência (em curva)

Divergência (em curva)

Quando as rodas estão apontando em direção à linha de trajetória uma da outra, dizemos que estão convergentes. Quando apontam em direções opostas, dizemos que estão divergentes.

Convergente – Um ajuste de alinhamento convergente torna o veículo mais estável em linha reta, pois a roda do lado para onde o veículo foi direcionado ficará reta e somente depois inicia o direcionamento do veículo, assim o movimento é mais lento e permite absorver irregularidades ou pequenos movimentos sem tirar o veículo da trajetória.

Divergente – Já o ajuste divergente dá maior agilidade para entrar em curvas, justamente pelo comportamento oposto ao divergente, ou seja, a roda do lado interno já está apontada para a curva, então a resposta ao movimento do volante é mais rápida.

Câmber

Câmber

Câmber é o ângulo do eixo vertical da roda em relação ao solo. O ajuste da cambagem é determinado visando obter a melhor área de contato da banda de rodagem do pneu com o solo, de acordo com os movimentos da suspensão e rolagem da carroceria. A cambagem pode ser negativa e, em curvas, inclinar-se a fim de ter a banda de rodagem do pneu do lado externo à curva (ponto de apoio) totalmente apoiada no solo.

No entanto, o ajuste será determinado pela montadora de acordo com a proposta do veículo, que pode ser esportiva, ou seja, terá maior esforço lateral em curvas, ou de veículo urbano, que exige pouco trabalho da suspensão em curvas e prima pela economia de combustível.

Cáster

Cáster

É a inclinação da linha vertical imaginária traçada entre os pontos de apoio da manga de eixo, olhando o veículo pela lateral. Se a parte inferior da linha estiver à frente da superior, o cáster é positivo, se estiver atrás, é negativo.

Quanto mais para positivo, maior a tendência de a roda se manter em linha reta, assim aumenta-se a estabilidade nestas condições; no entanto, também será maior o esforço necessário para esterçar, por isso, fique atento, já que um mesmo veículo pode utilizar medidas de cáster diferentes quando equipado com direção hidráulica ou mecânica.

Pressão Alta e Pressão Baixa

Agora, que você já conhece os principais ângulos de direção e sua influência no comportamento do veículo, veja como identificar qual deles pode estar fora das especificações do fabricante através do desgaste irregular dos pneus.

Lembre-se que em toda troca de pneus ou componentes de suspensão, assim como a cada seis meses ou 10 mil km rodados, deve ser verificado o correto alinhamento, a fim de evitar o desgaste prematuro dos pneus e componentes da suspensão e ainda evitar interferência no consumo de combustível e manter a dirigibilidade do veículo, garantindo a segurança.

Excesso de convergência ou divergência e Cambagem incorreta

O desgaste por excesso de convergência ou divergência acontece nas bordas externas da banda de rodagem, pois o pneu arrasta lateralmente.

A diferença para o desgaste por cambagem incorreta causa um desgaste que provoca a deformação da banda de rodagem, fazendo com que ela ganhe um desenho inclinado na posição em que trabalha.

No desgaste por calibragem incorreta dos pneus, o desgaste acontece no centro da banda de rodagem, quando a pressão está acima do recomendada pelo fabricante, e nas duas bordas, quando está abaixo.

Continue Lendo

Postado dia 09/04/2014

Saiba como escolher o pneu correto para o seu caminhão

Saiba como escolher o pneu correto para o seu caminhão

Sabe-se que os pneus estão entre os principais gastos com a manutenção de caminhões, afinal, são eles os responsáveis por sustentar todo o peso da carga além de tracionar o veículo com segurança. Com elevados valores por unidade, fazer a escolha certa é fundamental para manter o rendimento e a lucratividade do veículo – só um modelo adequado ao tipo de operação garantirá o retorno financeiro.

O primeiro passo para uma escolha correta é utilizar o tamanho recomendado pelo fabricante do caminhão, informado no manual do proprietário. As montadoras e as empresas produtoras de pneus realizam testes constantes, sempre buscando o melhor equilíbrio do veículo, portanto é importante seguir as recomendações. Utilizar pneus ou rodas diferentes altera a harmonia do caminhão, que passa a gastar equipamentos e pneus de forma errada e desigual.

O tipo de aplicação é determinante na escolha do modelo de banda de rolagem mais adequado ao transporte de cargas. A banda é parte do pneu que fica em contato direto com o solo, com desenhos específicos para cada tipo de uso. De acordo com Rogério Urbini, engenheiro de pós-vendas da MAN Latin America, "certas características da operação do veículo são fundamentais, como a geografia do local e o tipo de pavimento".

Dependendo do tipo de estrada, velocidade média e função do veículo, determinado modelo de banda é mais adequada. Entre os tipos estão o rodoviário, regional, urbano, misto e fora de estrada. Urbini dá um exemplo: "na aplicação de mineração, que é considerada severa, além da carga ser sempre elevada, a geografia e o pavimento fazem com que a escolha dos pneus seja tipo off-road. Já na aplicação dos coletores de resíduos (caminhões de lixo), que rodam parte carregados e parte vazios e tanto em vias regulares como irregulares, além de pavimentação com brita, próximo aos lixões, o pneu mais indicado é o de uso misto".

Outro ponto importante a ser observado é a correta distribuição dos pneus com o objetivo de manter o equilíbrio do caminhão. José Carlos Quadrelli, gerente-geral de engenharia de vendas da Bridgestone, explica que existem modelos com aplicação geral em todas as posições (também chamado de All Position), mas também bandas com aplicações específicas para cada eixo (direcionais, tração e carreta). "Por exemplo, pode-se usar pneus All Position nos eixos de tração em ônibus rodoviários, mas para conjuntos cavalo e carreta, que rodam em percursos com grande variação de relevo, seguramente será necessário o uso de pneus de tração no cavalo, para melhor transferência de torque", conta.

O alto preço dos pneus é justificado pela grande capacidade de recapagem. Os modelos de hoje permitem recapagens até que a carcaça seja totalmente inutilizada. Se o veículo estiver bem alinhado, com pneus adequados, a banda de rodagem gasta por igual, mantendo a qualidade da carcaça. Fábio García, gerente de marketing de pneus de caminhões ônibus e recapagem da Goodyear, diz que é preciso respeitar o indicador de desgaste da banda de rodagem, chamado TWI. "Se ele passar do limite – que é de 1,6mm – além de riscos de segurança, ele está suscetível a avarias na carcaça podendo inutilizar o pneu completamente", afirma. Segundo ele, a avaliação da carcaça deve ser feita por um profissional especializado, capaz de determinar se é possível fazer uma nova recapagem.

Cartola - Agência de Conteúdo

Continue Lendo

Postado dia 08/01/2014

Mercedes e McLaren revelam datas de lançamento dos carros de 2014

Mercedes e McLaren revelam datas de lançamento dos carros de 2014

Em meio à preocupação com o estado de saúde de Michael Schumacher, surge uma notícia que traz os fãs da F-1 de volta para “dentro das pistas”. Nesta segunda, por meio de sua rede social, aMercedes afirmou que apresentará o carro para 2014, o W05, em 28 de janeiro, em Jerez de la Frontera, circuito que receberá a primeira sessão de testes para a temporada atual. Enquanto isso, a McLaren adotará uma forma diferente para a divulgação do MP4-29. A escuderia britânica apresentará o carro de maneira digital, online, no dia 24 de janeiro, apenas quatro dias antes do início dos testes de Jerez. Imagens, vídeos e informações estarão disponíveis no site oficial do time de Woking a partir das 10h (brasília).

Mercedes anuncia carro para 2014 (Foto: Divulgação/twitter)Mercedes revela data de apresentação do carro de 2014 (Foto: Divulgação/twitter)

 

 

Além do bólido de Brackley, outro monoposto é esperado para ser apresentado na mesma época: o da Ferrari. Embora a expectativa seja grande, não há nada confirmado pelo time de Maranello. ALotus foi mais um time que se manifestou, mas declarou que não participará da sessão no circuito espanhol, adiando a apresentação e, consequentemente, os testes do E22 para a segunda bateria de treinos de 2014, em Fevereiro, no Bahrein.

Apresentações anunciadas, de maneira oficial, até o momento:

McLaren - 24 de Janeiro - Online

Mercedes - 28 de Janeiro - Jerez de la Frontera

Lotus - Fevereiro - Bahrein

Continue Lendo

|6|7|8|9|10|

Lojas

Av. Almirante Adalberto Barros Nunes Nº 2896 - Belmonte - Volta Redonda - (24) 3346-7377
Av. Sérgio Braga nº 509/521, Ponte Alta - Volta Redonda - (24) 3342-2028  |  (24) 3342-0406
Av. Paulo Erlei Abrantes nº 8500 - Três Poços - Volta Redonda - (24) 3340-2150